DESEJO S.A.

Performance

DESCRIÇÃO

Inspirada na obra do pintor René Magritte ‘Os Amantes’, a Performance ‘DESEJO S.A.’ trabalha com três linguagens artísticas explorando suportes-mídias diferenciados nesta Intervenção-Obra-Experiência pontual e efêmera: Teatro, Dança e Artes Plásticas num Palco Paisagem para expressar a sublimação do corpo-desejo na coreografia do cotidiano, objetivando deslocar este corpo-desejo de seu espaço físico natural e reinventá-lo neste mesmo espaço a partir da imagem na pintura ‘Os Amantes’.



A Performance DESEJO S.A. propõe a realização de Situ-Ações performativas iguais com casais de Performers diferentes em momentos diferentes.
Todas as Situ-Ações performativas serão captadas sob o olhar videográfico dos Videomakers do Coletivo Curto-Circuito.
Nesta Situ-Ação os Performers do Coletivo Curto-Circuito colocam-se como sujeitos-objetos da Performance. Enquanto escultura-viva, uma Pintura-Teatro num Palco Paisagem. A experiência é visual e imediata. Uma Situ-Ação estática que permanece como forma, cuja qual se difundirá graças ao Vídeo.
Os Performers do Coletivo Curto-Circuito propõe uma representação imaginária e imagética da sublimação do corpo-desejo, interpretando uma narração estática do corpo, e de seu comportamento, símbolo da sublimação do corpo-desejo. Os Performers têm como material para a construção de uma escrita do corpo, a pintura ‘Os Amantes’ de René Magritte, além da reflexão sobre seu próprio corpo e como ele se apresenta diante dos rituais sociais estabelecidos.
A função representacional de tal Situ-Ação consiste em oferecer uma imagem, que será vista por uma quantidade considerável de pessoas e que pode fazer com que as relações-repressões se projetem na consciência pública. A arte como instrumento de ação social. Trata-se da utilização do corpo-instrumento e sua relação espaço-tempo em ligação direta com o público, lidando com os velhos axiomas da arte cênica, sob um novo ponto de vista (o ponto de vista plástico) trazendo inovações à cena: o não uso da palavra; um tipo de Teatro-Imagem que surge da Dança-Movimento.
O texto na Performance DESEJO S.A. deve ser entendido como um discurso visual que cria um signo imagético causador de estranhamento no público que tem no mínimo uma função: destacar a imagem criada, propondo uma melhor observação da mesma. No que se refere à relação espaço-tempo, a ação performativa pretende estender-se a determinação do espaço na sua forma mais ampla possível, consistindo numa experiência dinâmico-espacial. O conceito convencionalizado de obra de arte e os locais institucionais para sua exposição tornam-se, então, insustentáveis para a Performance ‘DESEJO S.A.’.
Anarquiza-se a cartografia dos terminais: instalados nela, a presença dos Performers ganha uma existência na paisagem, agora não mais passível de ser ignorada: o expectador/transeunte os vê e as relações-repressões não podem ser denegadas. A força do resultado formal, tanto na escolha dos corposignos quanto em sua disposição nos espaços escolhidos, é inseparável do sucesso da problematizasão que a obra opera, seu efeito provocativo.

CONTEXTUALIZAÇÃO

Na Performance DESEJO S.A. o erotismo surge como uma das mais intensas e vitais experiências do homem e se exprime pela força agregadora que leva as pessoas a entrarem em contato. Uma Performance que mostra a sexualidade como a expressão máxima da intimidade e do desejo e que o impacto gerado pelo erotismo leva as pessoas a temerem a ação dele.
Que forças são essas que o homem precisa controlar, desviar, canalizar para outros setores aceitos socialmente? Para o filósofo francês Bataille, o domínio do erotismo está justamente no desejo que triunfa da proibição. O comportamento erótico se opõe ao comportamento habitual.
Na Performance DESEJO S.A. a sexualidade surge como uma liguagem possível, por meio da qual nos comunicamos com o outro, rompendo a descontinuidade dos corpos: a carícia é a “palavra” do corpo.
O objetivo da Performance DESEJO S.A. é mostrar através do movimento-corpo-imagem que as convenções sociais tornam as relações impessoais e impedem o autêntico encontro amoroso.

FICHA TÉCNICA

Pesquisa, criação e execução: Coletivo Curto-Circuito
Performers: Airton lima, Daniel Pizamiglio, David da Paz, Liduina Lins, Mônica Rêgo e Naiana
Cabral.
Videomakers: Cleomir Alencar, David da Paz e Rafael Alcântara
Produção executiva: Escola de Bens Imateriais

video

Performance realizada no ENCONTRO TERCEIRA MARGEM / VÍDEO-DANÇA – PERFORMANCE – INSTALAÇÕES – INTERVENÇÕES URBANAS / Bienal Internacional de Dança do Ceará/De Par Em Par 2008.